"Em comunicação não basta focar o destino é preciso observar a ponte" Carlos Parente (Obrigado! Van Gogh)

terça-feira, 28 de abril de 2009

Abrindo espaço...

Hoje o Espaço da Comunicação abre espaço para uma entrevista dada pela responsável pela comunicação institucional da Bunge Alimentos ao portal Nós da Comunicação. Leia e aprenda...melhor forma de absorver conhecimentos.

bjs

Danielly Cabraíba


Bunge Alimentos valoriza a comunicação interpessoal
Katia Costa



À frente da área de Comunicação Institucional da Bunge Alimentos, empresa com 9 mil funcionários, Patrícia Pecego entende que comunicação interpessoal é a grande alavanca para um alto desempenho. Para a gerente, o ser humano não dá tudo de si todos os dias, pois é humanamente impossível. “Por isso, você aumenta a produtividade quando engaja, envolve e comunica de forma adequada”, observa. “Acredito que a grande chave do processo seja o gestor, porque ele articula em dois níveis, com os liderados e com a cúpula da empresa”.

Esta entrevista faz parte de uma reportagem sobre a comunicação e o tempo, a ser publicada no próximo número da Revista Comunicação 360°.

Nós da Comunicação – Como você avalia o cenário atual das organizações com relação à questão do tempo?

Patrícia Pecego – Com o boom da comunicação digital, acabamos nos tornando mais produtivos e fazendo muito mais coisas pela facilidade dos meios. O clima e a sinergia entre as áreas são fundamentais para se ganhar tempo. Pressão é normal, convivemos com ela diariamente, mas, para amenizar esse sentimento, precisamos facilitar a realização de nossas ações em um ambiente harmônico e agradável que propicie a integração entre os empregados. As empresas passaram a se preocupar com outras questões subjetivas também, tais como espiritualidade, equilíbrio e inteligência emocional.

Nós da Comunicação – Como a Bunge lida com essas questões?

P. P. – Aqui, na empresa, a gente chama isso de resgate da emoção. A tecnologia trouxe bastante frieza para o relacionamento humano, pois passamos a ter mais contato via computador. Por isso, incentivamos a comunicação face a face, a conversa, em vez da troca de e-mails. Buscamos sempre o equilíbrio entre a agilidade e a produtividade. Os líderes não podem abrir mão do contato pessoal e precisam dedicar cerca de 80% do tempo ao relacionamento com as pessoas. A execução deve ficar a cargo da equipe de técnicos.

Nós da Comunicação – Quais são os principais veículos de comunicação da Bunge?

P. P. – Temos a ‘Revista Planeta Bunge’ (mensal), o Jornal Mural (semanal), o Portal (esporádico) e o Saboreie com Informação nas mesas do refeitório. Usamos todos os veículos em prol do ambiente harmônico, divulgamos as boas práticas nas unidades, os exemplos de áreas que trabalham em conjunto e que alcançaram bons resultados.

Nós da Comunicação – Quais as ações da área de Comunicação Interna voltadas para o empreendedorismo – um dos valores da companhia?

P. P. – Temos um programa de inovação – Inova Bunge – que estimula as pessoas a terem ideias de novos negócios e produtos. Assim, amarramos inovação com empreendedorismo. Do total de 5.256 ideias, 757 serão implantadas e 214 já foram operacionalizadas.

Nós da Comunicação – Você acredita que a comunicação pode ser um instrumento de transformação das normas estabelecidas em uma corporação?

P. P. – Sim, vejo a comunicação como uma área estratégica dentro da organização. Ela avança, movimenta, e quanto maior o nível de alinhamento entre as lideranças, maior o envolvimento dos funcionários em prol de um objetivo. Com certeza, há uma habilidade da comunicação muito grande por trás da integração dos funcionários na empresa.


* no portal Nós da Comunicação tem sempre entrevistas, artigos e tantos outros materiais sobre comunicação.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Vídeo do Iguatemi Maceió

Há algumas postagens comentei sobre uma propaganda de comemoração dos 20 anos do shopping Iguatemi Maceió, hoje uma amiga (Valeu Hertha, você será sempre muito bem vinda aqui) disponibilizou um link, agora é só conferir.


http://www.iguatemimaceio.com.br/video/


p.s: mas uma vez parabéns a Six pela excelente propaganda.

abraços,

Danielly Cabraíba

domingo, 26 de abril de 2009

Liderança

Um vídeo muito interessante que vi , parte da animação "A fuga das galinhas"que demonstra o poder de mobilizção que uma liderança legitima pode conquistar dentro de qualquer situação em grupo. Divirtam- se e Boa semana para todos!


http://www.youtube.com/watch?v=gregu-nJXhM

abraços,

Danielly Cabraíba

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Campanha 20 anos Iguatemi Maceió

Entrei aqui rapidinho só para falar da campanha do Shopping Iguatemi Maceió para comemorar seus 20 anos de atividades. Antenados nos modelos de apresentação que circulam na net, o vt da campanha está de qualidade exemplar, daqueles que dá vontade de guardar ou mandar para os amigos.

Infelizmente não achei nenhum material na net dessa campanha, mas acredito que seja obra da Six Propaganda, que há alguns anos trabalha a conta do shopping. Parabéns a todos...

p.s: assim que disponibilizarem algo sobre essa campanha na net, publico aqui para todos.

p.s2: é uma pena que ainda não tenha nada na net...pois é aqui que as coisas se multiplica por mil...demorando assim a disponibilizar na internet, se perde um tempo grande na promoção víral que pode ocorrer com o a publicação do vídeo no youtube.


bjs

Danielly Cabraíba

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Concurso Inmetro

Mais um concurso na área de comunicação, dessa vez só tem vaga para jornalistas, mas precisamente 2 vagas. Para maiores informações no site da CESPE, organizadora do concurso.


Inmetro vai selecionar 127 servidores

Instituto vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior tem remuneração partindo de R$ 5.274,74 .Conhecido por atestar a qualidade dos produtos no Brasil, o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) abre concurso público para selecionar 127 novos servidores. As vagas são para Analista Executivo em
Metrologia e Qualidade e Pesquisador-Tecnologista em Metrologia e Qualidade, ambos exigindo nível superior completo.

No total, são 30 especialidades diferentes, com remunerações que, inicialmente, vão de R$ 5.274,74 a R$ 6.168,23, dependendo do nível de formação do candidato. A partir do dia 1.º de julho de 2009, esses valores sobem para R$ 5.964,34 e R$ 7.563,01. Quem quiser concorrer a uma vaga no Instituto pode se inscrever no processo seletivo entre os dias 4 e 26 de maio, pelo endereço eletrônico www.cespe.unb.br/concursos/inmetro2009. A taxa de inscrição custa R$ 100,00 e deverá ser paga até, no máximo, 27 de maio.

A seleção será realizada por meio da aplicação de provas objetivas e discursiva e avaliação de títulos e experiência profissional. As três fases serão realizadas nas capitais estaduais e no Distrito Federal. As provas objetivas e a discursiva estão previstas para acontecer no dia 5 de julho, com duração de 5 horas e no turno da tarde.

SERVIÇO

Concurso: Inmetro
Vagas: 127
Inscrições: de 4 a 26 de maio
Remunerações: de R$ 5.274,74 a R$ 6.168,23 até 30 junho de 2009 e de R$
5.964,34 e R$ 7.563,01 a partir de 1.º de julho de 2009
Taxa de inscrição: R$ 100,00
Prova: 5 de julho

CONTATO

Outras informações no site www.cespe.unb.br/concursos/inmetro2009 ou na Central de Atendimento do Cespe/UnB, de segunda a sexta, das 8h às 19h – Campus Universitário Darcy Ribeiro, Sede do Cespe/UnB – telefone (61) 3448 0100.

Boa Sorte!!!!

domingo, 19 de abril de 2009

Como profissional de comunicação muitas vezes nos preocupamos em enfeitar a capa e é para ela que mais olhamos, mas uma capa bonita...sem conteúdo, desinteressa rápido e nosso objetivo é fixar nossas idéias.



Esse vídeo retrata bem isso...e também é o vídeo do momento no Youtube, vimos na aula da pós e até o fantástico fez menção ao vídeo.



http://www.youtube.com/watch?v=j15caPf1FRk

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Para não dizer amém...

Já virou clichê dizer que toda crise é uma oportunidade. Mas no caso da área de comunicação, a crise, não exatamente esta que vivemos hoje, mas qualquer turbulência sem maiores consequências, se transformou mesmo numa boa desculpa para não se enxergar um pouco além dos nossos narizes.

A era do 'tudo para ontem' vem embotando a criatividade dos profissionais de comunicação, inclusive os mais capacitados, que se esmeram em responder a alarmes falsos e a apagar incêndios forjados pelos executivos das grandes corporações. Na maioria dos casos, as crises que eles propalam não passam de espasmos. Na ânsia de acertar, atiram para todos os lados em busca de respostas - ou de culpados - para os prejuízos dos acionistas.

Uma navegada de alguns minutos pela internet é um indicativo da paralisia que toma conta dos profissionais de comunicação. Excetuando os sites de negócios - e os noticiosos, vá lá -, dificilmente encontraremos uma página atualizada naquele dia, ou com muito boa vontade, no dia anterior.

Desculpas não faltam. E a mais comum é a de que não temos recursos avançados em Tecnologia da Informação. Conversa fiada. Há anos apertamos a tecla "enter" para confirmar o voto no candidato de nossa preferência. Há sete, oito anos, ouvi um conceituado jornalista brasileiro perguntar a um executivo francês o que ele, um profissional egresso do primeiro mundo, achava da informática brasileira. Na certa, o jornalista esperava uma resposta na linha de que o atraso em TI impedia que o Brasil fosse competitivo em outras áreas. Só que a resposta surpreendeu.

Começou assim: "Há quanto tempo vocês fazem declaração de renda pela internet no Brasil?", perguntou, já respondendo. "Pois é", continuou, "no próximo ano eu farei parte de uma pequena e privilegiada amostra de franceses que testará o processo eletrônico no nosso país".

O fato é que dispomos de uma extraordinária infraestrutura de TI, mas não sabemos usá-la a nosso favor. Não só para produzir sites, mas também rádios e TVs, aproveitando as facilidades, incluindo os custos baixos, oferecidas pela internet. Ah, nestes tempos bicudos não existe verba. Já ouvimos isso nas décadas de 1970, de 1980, de 1990, no início do século 21 e certamente a desculpa será dada até quando soarem as trombetas do Apocalipse.

Culpar a crise, o Brasil e a falta de recursos não levará a comunicação a lugar algum. Pode parecer óbvio - e como ainda se recusam a enxergá-lo! -, mas a hora é de arregaçar as mangas. Infelizmente, há muita gente importante no meio empresarial que ainda não se convenceu de que comunicação é estratégica e contribui para os resultados do negócio. Afinal, para que serve a comunicação? Só para dizer amém?

*Marcos Marçal é consultor de comunicação em Belo Horizonte/MG e Ana Amélia Gouvea é diretora da BHPress, agência com sede na capital mineira.

**artigo do site da aberje

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Concurso Público

A Marinha do Brasil abriu inscrições para concurso, ofertando 04 (quatro) vagas para nossa área.

As inscrições são entre os dias 13/04/2009 e 27/04/2009. A remuneração para início de carreira alcança a casa de R$ 3.788,00 .

Inscreva-se pelo endereço www.ensino.mar.mil.br, pagando taxa de 60,00 reais. As provas se realizarão no dia 05.07.2009.

Oportunidade!!!!!!!!

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Comunicação como instrumento estratégico da gestão

A corrida contra o tempo para acompanhar as inúmeras transformações no cenário econômico-político-social, somadas às descobertas científicas e à velocidade dos avanços tecnológicos, tem exigido uma postura estratégica da empresa coerente com as exigências do mercado. Os clientes estão mais atualizados e bem mais exigentes; o leque de escolhas está ampliado, assim como o acesso às informações. A qualidade deixou de ser um diferencial das empresas e passou a ser uma obrigação nas escolhas do cliente, tornando-os mais criteriosos.

O desafio das empresas é grande. Precisam repensar formas de gestão para se adequarem às novas exigências, em especial às de globalização da economia e da competição nos mercados.

A estratégia da gestão é um começo para essa adequação, pois direciona os gestores a pensarem sobre o cenário, aspectos facilitadores e dificultadores, e sobre seu ambiente interno - forças e fraquezas -, definindo, portanto, o posicionamento da empresa frente aos objetivos que deverá perseguir para conseguir os resultados desejados para a sobrevivência e o crescimento da organização.

A frase de Crosby é bem adequada para o entendimento da importância das relações: A empresa precisa de seus funcionários para conseguir alcançar o tão esperado sucesso. O que fazer para conseguir esse engajamento?

A experiência nos tem apontado a qualidade do vínculo entre a empresa-empregado uma vantagem competitiva, pois faz com que os colaboradores sintam-se parte de uma construção, identificando-se com a companhia e se sentindo corresponsáveis pelos resultados. Organizações que têm um elevado nível de satisfação entre os funcionários tendem a se destacar no mercado, pois esse contentamento é transmitido ao cliente, através de atitudes no momento do atendimento.

O que tem feito o cliente optar por uma determinada marca parece ser os valores intangíveis como atitudes do vendedor, a empatia com a clientela - qualidade do atendimento em si. Ao final, é o valor agregado que poderá garantir ou não, a lealdade do comprador.

A capacidade da empresa de se reinventar permanentemente e atrair pessoas ou organizações que se identifiquem com sua visão de mundo e sua maneira de fazer as coisas é o que constrói o maior patrimônio da empresa: a lealdade. É esta que assegura a capacidade de gerar compra, o cliente, e de vestir a camisa, o funcionário.

Lealdade:

1) Na perspectiva da relação com clientes

- Opção do cliente pela empresa e pela marca.
- Reconhecimento do padrão de qualidade.
- Satisfação do produto ou serviço.
- Identificação com conceitos e valores ligados à marca e à organização.

2) No vínculo empresa-empregado

- Opção pela companhia.
- Identificação do empregado com a missão, conceitos, valores e estilo da corporação.

A comunicação torna-se, portanto, um instrumento valioso para a busca da lealdade com o cliente e na relação empresa-empregado. Como define Vera Waissman, pela relevância estratégica, cabe deter-se na comunicação, a ponte para a participação, gerando transformações da e na cultura organizacional.

Ainda na visão de Waissman, a comunicação integrada congrega 11 ferramentas disponíveis com as quais o departamento responsável poderá trabalhar, seja pela ótica institucional ou mercadológica, a serviço da construção de uma imagem de marca positiva. São essas: Propaganda, Publicidade Legal, Lobby, Marketing Interno, Promoção & Merchandising, B2B / B2C, Responsabilidade Social, Identidade Corporativa, Assessoria de Imprensa, Marketing de Relacionamento, Internet.

A ferramenta de comunicação precisa estar alinhada à estratégia da organização e direcionada aos públicos com os quais a companhia pretende se relacionar. Assim como a área de comunicação deve utilizar os instrumentos de forma integrada e direcionada aos diferentes stakeholders e zelar para que as práticas das atividades dos demais setores estejam alinhadas as estratégias e crenças da empresa. Afinal, a essência do posicionamento advém da missão, da visão, dos valores da empresa.

Comunicação é uma questão de atitude que deve ser priorizada na gestão. E como tal, parece ser bem simples a sua prática, mas quando a serviço da gestão, do reforço positivo de uma marca e da construção de vínculos, deve ser planejada estrategicamente.

O que? Como? Quem? Quando comunicar? São perguntas que devem ser feitas quase que diariamente entre os gestores da organização para fazer valer o desmembramento de suas estratégias e o reforço positivo da imagem da empresa. A falta de informação autoriza uma contra-informação, abrindo espaço para a "rádio-peão", o que geralmente é remar na contramão da imagem positiva da companhia e da qualidade de vínculos.

O que se compra é a certeza de cumprimento de prazos, relações éticas, preço justo, garantia de qualidade, satisfação e lealdade, frutos de investimentos em trabalhos e programas estruturados de gestão. Tudo isso consome tempo, RH, materiais e financeiros.

Um dos principais erros da gestão é priorizar o fluxo de caixa e os resultados de curto prazo, apenas. Com isso, algumas empresas ainda investem pouco no instrumento de comunicação ou o fazem de forma pontual, desatrelada da estratégia. A imagem não se inventa, revela-se; e o processo de construção nem sempre é tão rápido e traz resultados tão de imediato. Quando se consegue investir na comunicação como instrumento estratégico da gestão os resultados são compensados através da construção de uma marca forte, além da integração e motivação das pessoas, convergindo para gerar vendas e um ambiente organizacional comprometido.

*Marijones Dias Guedes

** Material do portal www.rh.com.br

terça-feira, 7 de abril de 2009

Publicação Sobre Comunicação Corporativa

Segue link com revista que foi publicada pelo Jornal Valor Econômico, exclusivamente sobre comunicação corporativa. Vale a pena olhar, lê, pesquisar e guardar link para futuras visitas.

abs,

Danielly Cabraíba


http://208.96.41.18/valoreconomico/home.aspx?pub=27&edicao=1

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Jornal Mural

Diploma de Jornalisra - Dia da Mentira

Bem que podia ser por que hoje é dia da mentira...por que é mesmo uma palhaçada esse julgamento...depois de anos vem alguém e diz que não precisa de diploma para ser jornalista...Fala sério, essa emenda não devia nem ter sido acatada...mas foi!!! Vamos esperar 15 de Abril para vê no que dá isso...

Enquanto isso vamos aprendendo...
Um slide legal sobre Mural para vcssss

bjs

Danielly Cabraíba