"Em comunicação não basta focar o destino é preciso observar a ponte" Carlos Parente (Obrigado! Van Gogh)

sábado, 10 de setembro de 2011

Conflitos na equipe: como resolvê-los?


Por Patrícia Bispo

Não existe empresa em que esteja livre de vivenciar momentos de conflitos. Isso, por um lado, torna-se até positivo porque se todos pensassem da mesma forma e adotassem
os mesmos comportamentos inexistiria a evolução do ser humano e, conseqüentemente, das organizações. Contudo, isso não significa que diante de uma situação uma situação de desarmonia, deva-se fazer "vista grossa" e fingir que está tudo bem. Se isso ocorrer, o clima organizacional e a performance da equipe serão prejudicados. Mas, como um gestor deve agir para superar uma desavença que se instaure entre os membros da sua equipe? Confira abaixo algumas dicas!

1 - A liderança sempre deve estar atenta ao dia a dia da sua equipe e isso inclui observar se o espírito de camaradagem entre os liderados continua o mesmo ou se sofreu alguma mudança negativa. Caso seja notório que ocorreu uma mudança comportamental entre seus liderados faça um acompanhamento discreto, pois isso pode ser um fato temporário.

2 - Se a mudança de comportamento permanecer esteja mais próximo das pessoas envolvidas no conflito. Considere se os colaboradores estão realizando alguma atividade juntos, por exemplo, e convide os dois para saber como está o andamento dos trabalhos e se existe alguma dificuldade na execução do mesmo.

3 - Mantenha-se neutro em relação aos envolvidos na situação. O líder nunca deverá tomar "partido de A ou B", apenas porque tem mais afinidade com um deles.

4 - Quando o conflito se instaura numa equipe, é indispensável encontrar uma solução rápida e viável, para que o mesmo não envolva os demais colaboradores e se criem "grupos de defesa". Para isso, convide cabe parte envolvida para uma conversa em particular e seja objetivo. Pergunte o que está ocorrendo, o que gerou o desconforto em relação ao outro colega de trabalho.

5 - Uma vez realizada uma conversa com as partes envolvidas na situação conflitante, procure verificar se as informações que obteve correspondem à realidade. Se por exemplo eles estiverem realizando um trabalho em grupo, analise se todos estão cumprindo com suas respectivas responsabilidades, por exemplo.

6 - Caso a desavença seja reflexo das atividades profissionais, o líder pode realizar um breve levantamento do processo e ver quem, de fato, está ou não com a razão. Identificado o fator que causou a questão, deve-se rever a estratégia de trabalho entre as partes envolvidas e adotar novas diretrizes.

7 - Se, porventura, o conflito envolve razões pessoais não se deve "tapar o sol com a peneira" e deixar que os liderados resolvam a questão entre eles. Chame-os para uma conversa e relate tudo o que constatou. Depois de apresentar seu posicionamento sobre o conflito que se instaurou. Abra espaço para que os liderados falem sobre o assunto e observe as emoções que afloram nesse momento.

8 - Uma vez concluída a conversa entre o líder e as partes envolvidas, o gestor deve ter a iniciativa de sugerir que os profissionais tenham uma conversa reservada para entrarem em um acordo e sanarem as diferenças, lembrando que o lado profissional deve prevalecer.

9 - Após o término da conversa entre os colaboradores, o líder deve retornar para saber o que ficou acordado entre as partes: se chegaram a um consenso ou, então, o problema permanece. Caso a última opção prevaleça, é provável que alguma medida mais séria seja adotada como, por exemplo, uma transferência.

10 - Por fim, é aconselhável que o gestor realize uma reunião com todos os integrantes da equipe para comunicar a todos as medidas adotadas em virtude do conflito e que o mesmo foi solucionado para o bem coletivo. Um detalhe importante: o gestor deve aproveitar a oportunidade para lembrar a todos que, muitas vezes, um problema surge a partir de uma brincadeira "de mau gosto" ou de "fofocas" no ambiente de trabalho. Além disso, é importante enfatizar que todos devem ser respeitados e que um fato conflitante surja, ele - o líder - está pronto para conversar e evitar um possível mal entendido. O diálogo sempre foi e será uma ferramenta valiosa para a convivência harmônica das pessoas, seja no campo pessoal ou profissional.

*Material disponível em:http://www.rh.com.br/Portal/Grupo_Equipe/Dicas/7414/conflitos-na-equipe-como-resolve-los.html"

Nenhum comentário: