"Em comunicação não basta focar o destino é preciso observar a ponte" Carlos Parente (Obrigado! Van Gogh)

domingo, 21 de junho de 2009

Fim do diploma e a liberdade de expressão - Não pode ficar assim!!!

O fim da exigência do diploma de curso superior para o exercício da profissão de jornalista interessa muito aos donos da mídia. Vale lembrar que foram os proprietários dos veículos que recorreram ao judiciário, para derrubar o diploma e nossa regulamentação profissional. Afinal, com a extinção da exigência, a liberdade de expressão será propriedade privada dos detentores dos veículos de comunicação. Eles terão o pleno poder de decidir quem poderá ou não exercer a profissão de jornalista no Brasil. A liberdade de expressão nada ganhará. Não se iludam.
Com a exigência do diploma, os donos da mídia precisavam recrutar entre os
profissionais habilitados os seus trabalhadores. Sem ter que obedecer à exigência, recrutarão como bem entenderem seus escribas servis. Temo pela remuneração e direitos dos escolhidos.

O fim da exigência do diploma transformará em verdadeiros faraós os donos da mídia, que terão poder absoluto e ampliado sobre os seus veículos de comunicação. Como se eles já fossem pequenos.

A despeito de proteger a liberdade de expressão, o Supremo Tribunal Federal (STF) cometeu um grosseiro engano que será extremamente danoso para a sociedade brasileira. Ampliar os direitos dos donos dos veículos, em detrimento dos jornalistas habilitados, não parece ser o caminho mais seguro para garantir e ou ampliar o direito de expressão ou de imprensa no Brasil.

Foi criado um falso dilema. A exigência do diploma nunca foi uma ameaça à liberdade de expressão. Já a sua extinção deve concentrar mais poderes nas mãos de poucos, que além do forte e inabalável compromisso sempre justificado com lucro acima de tudo, tem entre seu seleto grupo, figuras detentoras de altos cargos públicos, que possuem concessões públicas seja através de parentes ou de terceiros no comando de emissoras de rádio e televisão.

Respeito os que defendem a extinção do diploma, por comparar a profissão de jornalista com a dos poetas e escritores, porque estão sendo ingênuos, mas desconfio dos que argumentam que o fim de tal exigência irá ampliar a liberdade de expressão, simplesmente porque o argumento é falacioso.
* Texto do site http://www.ojornalista.com.br/



Agora minha opinião...precisava blogar, ou melhor gritar, depois que vi na TV aquelas criaturas do STJ votando sobre uma coisa tão séria como um diploma de mais de 40 anos, como se tivesse falando de um curso de datilografia. Como uma pessoa em sã consciência pode dizer que para ser jornalista não se precisa de conhecimento nenhum...que era como cozinhar qualquer um pode fazer. Eu até queria vê eles cozinhando ou escrevendo algo sobre qual não conhece.

É triste mas nosso diploma ficou na mão dessas pessoas que só dão valor aquilo que é deles. Ah!!! Eles são advogados (não desmerecendo os bons e sérios advogados que trabalham no Brasil), um curso muito difícil de fazer...pouca oferta, pouca maracutaia para conclui o curso...muitos exames da ordem pela frente...um empurrãzinho da pessoa certa e você acaba onde???? Sentado numa cadeira confortável, ganhando um salário confortável e bota confortável nisso, para dizer que nós que passamos 4 anos numa faculdade, aprendendo uma profissão, somos burros, pois nem precisava pois qualquer um pode ser jornalista. Ninguém merece!!!

Esse foi meu desabafo. Acho que ninguém pode vir aqui ou em qualquer lugar e dizer que tudo que estudamos foi desnecessário. E agora me faço uma pergunta: Ainda vai ter algum concurso para jornalista no Brasil???

Dani Cabraíba

Nenhum comentário: