"Em comunicação não basta focar o destino é preciso observar a ponte" Carlos Parente (Obrigado! Van Gogh)

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Mais um round...

Para João Roberto Marinho, acusações da Record são sem sentido



O vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho, afirmou que as acusações contra a direção da empresa e a Rede Globo, feitas pela Igreja Universal e Rede Record, não fazem sentido. “Não é a Globo que está em causa, nós tivemos concorrências mais fortes do que a da Record. Muitas vezes na nossa história a nossa resposta para a concorrência foi sempre trabalhar cada vez melhor e mantivemos a nossa liderança dessa forma, não ia ser agora que nós íamos usar a notícia para interferir na concorrência, então isso não faz o menor sentido”, declarou Marinho.


Nesta terça-feira (29/09) a Globo enviou um comunicado sobre o caso aos funcionários e autoridades da empresa. “Nós fizemos uma carta para várias autoridades que receberam uma publicação da Folha Universal nos agredindo pessoalmente e a Rede Globo. Essa carta nós distribuímos internamente também, para os funcionários”, disse Marinho à reportagem do Comunique-se, na cerimônia do Prêmio Comunique-se, onde a empresa recebeu homenagem pelos 40 anos do Jornal Nacional.


O executivo disse que a Rede Globo se posicionou apenas internamente e não tem interesse em se manifestar publicamente sobre o assunto. “Para nós não tem sentido um posicionamento público, porque isso é um não assunto (...). Nós simplesmente noticiamos uma denúncia do Ministério Público, o acatamento da denúncia pelo juiz e acho que a Igreja Universal, seus bispos, têm que responder os processos".


Exposição e denúnciasA carta justifica o tempo dado na programação da emissora para falar sobre as denúncias contra Edir Macedo. “A TV Globo deu à ação criminal contra Edir Macedo e outros nove denunciados tratamento,em termos televisivos, absolutamente equivalente ao que deram ao mesmo assunto os grandes veículos da mídia impressa do país”, informa o texto.
O comunicado diz ainda que as acusações de compra irregular da TV Paulista, uso de terreno da prefeitura e empréstimo público para a construção do Projac, feitas pela Record contra a Globo, não são válidas. “Desde então, o que se tem visto é o uso sistemático e maciço de todos os veículos do grupo acusado pela Justiça para nos atacar, recorrendo a denúncias fantasiosas e velhas, todas já desmoralizadas através do tempo”.


Na última semana, a Folha Universal publicou uma edição especial com acusações contra a família Marinho e à Rede Globo. O jornal teve tiragem de 3.500.000 exemplares, recorde na publicação.

Nenhum comentário: